Creative Commons

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

Momento de Reflexão

"O maior bem que podemos fazer aos outros não é oferecer-lhes nossa riqueza, mas levá-los a descobrir a deles." - (Louis LavelleProfessor, filósofo e metafísico francês, 1883 - 1951)

As conquistas que conseguimos com nosso esforço, acende nosso caminho para o sucesso.
Alexandre Brussolo (20/09/2011)

quinta-feira, 3 de junho de 2010

A dor da perda

Ele tinha preperado tudo, seria uma noite inesquecível, como muitas que tiveram através de sua imaginação, mas esta seria a noite mais sensacional que daria a ela. Um jantar feito por ele mesmo, já tinha planejado tudo, não tinha o que dar errado.
Havia aprendido a fazer o prato, nada sofisticado, coisa simples mas que podia impressionar, o vinho foi escolhido cuidadosamente, havia gastado uma boa grana nele, mas no final tudo valeria a pena, pois tinha que mostrar a ela que tudo tem uma chance para recomeçar, e este jantar seria uma quem sabe nova vida, sabia que seu casamento não estava bem, mas ele tinha que tentar, pois a amava ainda muito, não cogitava de forma alguma perdê-la.
Ela havia ido para a casa da mãe dela e logo estaria voltando, pedira para sair mais cedo só para preparar tudo, um bom vinho, um bom prato para acompanhar, um toque romântico com as velas sobre a mesa e uma rosa vermelha, a cor que mais gostava, nada podia dar errada, até a música escolheu com esmero, nossa o que podia dar errado.
Só faltava uma coisa, a felizarda, a sua grande paixão.
Estava demorando, sabia que quando ia para a casa da mãe voltava tarde, mas não tão tarde assim, será que ligava para saber o que tinha acontecido, ou esperava mais um pouco, já eram onze horas e nada, será que aconteceu algo?
Depois de muita indecisão acabou ligando:
__ Alô! __ ouviu a voz dela do outro lado.
__ Ainda está aí?
__ Eu não vou voltar mais, não leu o bilhete?
__ Que bilhete?
__ Deixei um aí em cima perto do telefone.
Foi quando viu um papel embaixo da mesa do telefone, no seu desconsolo deixou o telefone cair de sua mão, e quase não acreditando no que acontecia foi até o quarto e viu as gavetas vazias e sentiu este mesmo vazio em seu coração, em sua alma.


Alexandre Brussolo (21/04/2010)

TEXTO: 690

Nenhum comentário: